Posts

IMG_7923

Última fase do programa: Estruturação dos Empreendimentos

Nas últimas semanas de Abril os pré-incubados do Cocreation Lab entraram na 3ª Fase e última do programa, de Estruturação dos Empreendimentos. Depois da contextualização do ambiente empreendedor e da lapidação das ideias por meio dos canvas de mapa de empatia, proposta de valor e modelo de negócio, a 3ª Fase contará com atividades que focarão nas bases Estratégicas dos empreendimentos.

Já foram trabalhadas a Análise SWOT e as dicas para uma boa construção de Missão, Visão e Valores. Já nos últimos dias 3 e 4 de Maio começaram a ser realizadas as oficinas que tratam de Branding, a gestão de marcas.

Começando com atividades sobre o DNA de Marca, os cocreators passaram processo de valorização criativa adaptado da metodologia TXM Branding, desenvolvida no LOGO UFSC desde 2006. As equipes de projetos ajudaram umas às outras na discussão e identificação dos conceitos essenciais que formam as suas marcas e serão a base de construção da sua identidade corporativa e de toda a comunicação com seus públicos.

A TXM Branding baseia-se em três grandes etapas:

Think, onde são mapeados os diferenciais e recursos mais autênticos da marca, a partir do DNA e do Propósito, e também o seu Posicionamento perante aos concorrentes e públicos e o Naming (definição/validação do nome do empreendimento);

eXperience, que trata da percepção dos diferentes públicos sobre a marca enquanto experiência multisensorial, em um Sistema de Identidade que traduz o DNA em cada ponto de contato da marca;

e Manage, etapa de estudo das estratégias de comunicação, desenvolvimento do endobranding e storytelling da marca.

As oficinas no Cocreation Lab focarão na etapa Think da TXM onde nas próximas semanas da pré-incubação serão abordados o Propósito e o Naming. As oficinas estão sendo ministradas pelos pesquisadores do LOGO UFSC e sócios na empresa MOOD Lab: Daniele Warken, Fernando Portela e Patrick Veiga.

O programa de pré-incubação será concluído com atividades voltadas para os planos operacional, financeiro, de vendas e marketing, culminando em uma rodada de pitchs dos projetos para gestores de ambientes de inovação de Floripa, nos quais os empreendedores terão a possibilidade de continuar o desenvolvimento e estabelecer seus negócios.

IMG_6956

Atividade: Apresentação do MVP e Finalização do Canvas.

Nas duas últimas semanas os cocreators passaram pela finalização da primeira Fase da Pré-incubação, que é o Modelo Canvas. Com isso, tiveram que realizar a apresentação do seu MVP (O Minímo Produto Viável), relatando se os produtos ou serviços propostos pelos projetos eram de fato viáveis e direcionados para as personas (no caso, seus clientes). O objetivo principal das apresentações era mostrar a validação do protótipo assim como pontos que deveriam ser melhor desenvolvidos sob a perspectiva do cliente.

Dentre as diversas considerações, alguns projetos abordaram o fato que os próprios clientes ofereceram algumas percepções sobre o valor que o produto apresenta, valores até então não mensurados pelos projetos, resultando até em uma melhora no produto ou até mesmo uma nova forma de prototipagem. Outro ponto interessante foi que alguns projetos preferiram trazer o seu produto/ serviço a ser testado com os próprios colegas (já que alguns apresentavam o perfil de seus potenciais clientes).

Esse momento proporcionou uma grande troca de conhecimentos e experiências, visto que tiveram a oportunidade de testar o seu produto no mercado, recebendo assim feedbacks e sugestões sobre a percepção do produto.

Tendo a persona identificada e o MVP testado, o próximo passo seria então a construção do Business Model Canvas, ou simplesmente Canvas, ferramenta a qual permite esboçar um modelo de negócio, permitindo identificar o que está sendo oferecido, para quem esse produto ou serviço irá se destinar, como essa interação será e quanto todo esse processo poderá custar. Traçando essas etapas os cocreators já começaram a visualizar o seu negócio, tendo já um esboço de toda a sua estrutura.

Com a fase do Canvas finalizada, começará a fase da estruturação da empresa, onde cada ponto visto no modelo de negócios será visto agora de maneira mais aprofundada.

Todos os encontros foram ministrados pelo Lucas Novelino Abdala sendo quem nos auxiliou nessa etapa. Em nome do Cocreation, gostaríamos de formalizar o nosso agradecimento, pela sua disponibilidade e atenção para com os nossos cocreators e pela dedicação no trabalho que realizou. São parcerias como essa que fazem nossos objetivos serem cada vez maiores!

IMG_6245

CONTINUAÇÃO DAS ATIVIDADES DA PROPOSTA DE VALOR

Na última segunda-feira (13/03), tivemos a continuação das atividades do último encontro na semana passada sobre a Proposta de Valor. As equipes apresentaram o seu Mapa de Empatia, explicando como foi a experiência e como chegaram nas personas dos seus projetos de acordo com a pesquisa realizada durante a última semana. A partir daí o ministrante Lucas Novelino Abdala continuou a explicação sobre Proposta Valor, evidenciando a Ferramenta da Proposta de Valor que tem como objetivo auxiliar no entendimento sobre o mundo do cliente e como os produtos e serviços propostos pelos cocreators se encaixam nas necessidades deste nicho, é uma confirmação do que estará sendo entregue, isto é, a solução ideal para o cliente resolver o problema que está tentando solucionar (através dos produtos e serviços).

Após a explicação, foi realizada uma sessão de brainstorming com os cocreators para identificar cada ponto da ferramenta, identificando as tarefas, ganhos e dores percebidos pelo cliente assim como a maneira que os produtos ou serviços dos projetos serão encarados como a solução dos problemas desses clientes.

O próximo passo agora será o teste do Produto Mínimo Viável (MPV), uma “versão mais simples do produto que pode ser lançado com uma quantidade mínima de esforço e tempo de desenvolvimento”. O objetivo dessa tarefa é analisar se os produtos/serviços propostos pelos cocreators é viável e direcionada para as personas (clientes) identificadas.

IMG_6184

COCREATION LAB VOLTA COM AS SUAS ATIVIDADES COM OS COCREATORS!

Nesta última terça-feira (08/03), o Cocreation Lab, pré-incubadora do Centro Sapiens, voltou com as suas atividades! Os cocreators começaram o desenvolvimento da sua ideia com um encontro tratando sobre a Fase 2 – Canvas: Proposta de Valor e o Mapa de Empatia do seu projeto de empreendimento.

O encontro foi realizado pela VIA Estação Conhecimento em parceria com o LOGO UFSC e o próprio Centro Sapiens, contando com a participação de Lucas Novelino Abdala que trouxe o conceito de valor e a sua importância para o desenvolvimento dos projetos a fim de transformá-los em negócios sustentáveis. Também, explicou sobre a necessidade de identificar a persona (potencial cliente para o seu negócio) que auxiliará também na percepção de valor desses futuros negócios.

A percepção de valor basicamente consiste na relação entre a organização (funções entregues e custos) e o cliente (a percepção dos benefícios recebidos e o preço definido pelo mercado). O produto que pretende ser comercializado é um mecanismo na provisão do serviço, logo, o valor desse produto basicamente consistirá no benefício da sua utilização, a experiência que o cliente terá com o produto adquirido.

Os cocreators tiveram a oportunidade de realizar alguns exercícios identificando o valor de algumas empresas já conhecidas. Para começar a traçar a proposta de valor de cada projeto, foi realizado um ‘’mão na massa’’ fazendo que primeiramente, todos identificassem a persona, o potencial cliente, através do Mapa de Empatia, para que na próxima etapa seja trabalhado a proposta de valor que será percebido pelos seus potenciais clientes.

colab

Tudo sobre Pré-incubação!

A atividade oferecida para os nossos Cocreators essa semana foi uma palestra, proporcionada por Maria Carolina Zanini, integrante do grupo VIA Estação Conhecimento, sobre o conceito e as etapas de um Programa de Pré-Incubação, conteúdo voltado principalmente para o processo a ser desenvolvido no Cocreation Lab.

O Processo de Pré-Incubação consiste em desenvolver a pessoa (perfil empreendedor) e a validação da sua ideia (potencial negócio), através de serviços, ferramentas e apoio institucional verificando assim a viabilidade mercadológica do futuro negócio.

Alinhado a esse conceito, o processo de pré-incubação do Cocreation Lab vai ser dividido em 3 fases com alcance à diversas vantangens, como:

1. Utilização da infraestrutura do Cocreation Lab;

2. Acesso à networking;

3. Credibilidade por estar inserido na pré-incubadora;

4. Compartilhamento de um ambiente altamente empreendedor;

5. Orientações empresariais;

6. Compartilhamento de riscos;

7. Fluxo de conhecimento;

8. Oportunidade de pivotar – validação da sua ideia.

Dito isso, foi alinhado às equipes o novo sistema de Gameficação que vai ser aplicado no laboratório, onde os grupos vão ter a oportunidade de ganhar prêmios como recompensa pelo cumprimento de certas atividades, ademais, foi abordado o tema empreendedorismo, como, quais são os determinados perfis que um empreendedor pode atribuir, o ambiente empreendedor e a promoção da cultura empreendedora.

Depois, a mais nova Coordenadora do Centro Sapiens, Prof. Clarissa Stefani Teixeira finalizou a noite com um debate sobre o conceito de Inovação!

Rodrigo Stüpp, da equipe Ecoexperiências, deu seu depoimento sobre o evento: “Consegui ter um melhor contexto de inovação, apesar de já ter alguma noção sobre o assunto e sua importância em Florianópolis e na economia criativa. No caso do meu projeto, em parceria com a Ecoexperiências, ficou mais evidente que não precisamos criar algo novo, mas, sim aperfeiçoar algo que existe com abordagem e foco bem definidos. O ambiente de cocriação, sem dúvidas, é fundamental para que isso aconteça. As palestras ajudaram a esclarecer também nossos papéis de cocreators, que ainda estão se definindo e se redesenhando”.

foto

Hora de Cocriar!

Para fomentar a cocriação na nossa pré-incubadora: Cocreation Lab, nada melhor do que uma atividade de interação com os nossos Cocreators!

À vista disso, foi realizado um encontro onde cada integrante teve a oportunidade de se apresentar, demonstrando qual o real motivo de estar aqui, quais são os seus objetivos e quais são as principais competências que podem agregar no desenvolvimento dos projetos.

Sendo assim, cada ideia mostrou o seu potencial, com caráter criativo e inovador. Segundo José Guião, representante do projeto Barco Autônomo, a atividade de interação foi interessante para despertar o sentimento de identidade de grupo do Cocreation Lab, para ele, ter um tempo para opinar nos trabalhos dos outros e saber os progressos deles desperta interesse e empatia pela proposta do laboratório, assim como era para ser, um espaço de compartilhamento aberto e ilimitado de ideias. Juliana Martins do +Saúde também deu o seu depoimento: “Quando o Cocreation Lab começou, não sabia o nome de ninguém e nem como aquelas ideias inovadoras tinham surgido. Com a dinâmica, pude conhecer um pouco a história de cada um, como chegaram ali e observar que apesar de serem ideias distintas, todos temos o mesmo propósito: ajudar pessoas”.

Quer saber quais são as ideias incubadas no nosso laboratório? Então, confere a lista que fizemos para um melhor conhecimento sobre as iniciativas por aqui instaladas:

Co-studio: Experimento de criatividade colaborativo, realizado por um grupo multidisciplinar, que tem como principal motivação a transformação da cidade, de caráter sociocultural. O co-studio busca oferecer à população a possibilidade de fazer uso da cidade, realizando projetos para a cidade e quem a usa.

Hidrointel: O produto em desenvolvimento é o Sistema de Automação Inteligente de Pivôs Centrais e Gerenciamento Remoto de Lavouras, composto por três dispositivos ‘plug and play’ instalados em pontos estratégicos do campo e software em nuvem que automatiza e adiciona inteligência ao processo de irrigação, resultando em aumento de eficiência com consequente redução do consumo de água e energia elétrica e aumento de produtividade devido à estratégia otimizada de irrigação.

Moda Acessível: A ideia é elaborar uma marca destinada à criação e ao desenvolvimento de modelos de shorts e saias, acessíveis aos mais variados formatos de corpos brasileiros. O foco principal é atender toda e qualquer mulher, independente do seu tipo de corpo, disponibilizando shorts e saias, pensados de forma atemporal para suprirem uma necessidade a longo prazo e não momentaneamente.

Smart4People: Para equacionar a melhoria dos serviços de maneira mais otimizada as cidades têm que ser mais inteligentes (do inglês smart cities), aplicando-se monitoração e automatismos em tempo real, de maneira a controlar e tomar ações automáticas. A partir dessa demanda, com a participação de quatro profissionais com larga experiência em desenvolvimento de novas tecnologias, foi concebido o projeto, o qual já concluiu o protótipo dos primeiros produtos e buscará agora os primeiros passos de sua estruturação.

URBANBED: É um conceito novo em hospedagens urbanas que desejamos estruturar em Florianópolis. Consiste num espaço compartilhado de hospedagem, com custo operacional e tarifas abaixo do mercado. Os serviços de alimentação, lavanderia, etc serão prestados pelas empresas do entorno, movimentando assim a economia local. O público principal será o profissional da área da economia criativa que participa de eventos e cursos.

Ecoexperiências: Transformar Florianópolis num destino reconhecido internacionalmente no turismo sustentável é o que move a agência de receptivo Ecoexperiências. Alinhada com as metas da ONU para 2017, declarado como Ano Internacional do Turismo Sustentável, as ações da agência tem como principais pilares: proteção da biodiversidade, fomento de comunidades tradicionais e saberes, distribuição de renda e valorização de patrimônios históricos e culturais.

GT BIM: Propõem uma arquitetura mais eficiente energeticamente e conectada com a medida dos edifícios. Ao verificar as edificações de um modo geral, muitos insumos são desperdiçados na fase de construção ou operação. R

PEDAIS DE ÁUDIO: Este projeto tem o objetivo de promover a integração entre Tecnologia e Música através do desenvolvimento, produção e divulgação de pedais de efeito de áudio. Assim, busca-se projetar e construir pedais de efeito de áudio de qualidade e com preço acessível ao público, utilizando-se do conhecimento da engenharia e da música, principalmente, além de uma interface com o design.

Hexball: O simulador de treinamento tem como finalidade avaliar e demonstrar os erros de execução dos fundamentos técnico e físico dos atletas, assim a comissão técnica poderá desenvolver atividades específicas para cada jogador, com a intuito de corrigir a execução dos fundamentos. O sistema de monitoramento físico e tático permite monitorar e avaliar, em tempo real, os treinamentos individuais dos atletas de forma segura e objetiva. O software de gerenciamento de treino será responsável por organizar e otimizar o tempo de planejamento dos treinos.

IBEX: Surgiu da ideia de utilizar os conhecimentos adquiridos nos cursos de graduação em engenharia e dos projetos desenvolvidos em grupos de pesquisa a fim de melhorar a qualidade de vida procuram desenvolver dispositivos cyber-fisicos, rápida prototipagem e com uma qualidade de trabalho versátil e atualizada, utilizando o estado da arte em seu desenvolvimento.

Barco Autônomo: Surgiu de uma disciplina da Engenharia de Materiais, como uma ferramenta de suporte ao veleiro ECO UFSC, como uma plataforma de instrumentação autônoma capaz de solucionar dificuldades que se apresentam na coleta de dados oceanográficos, atualmente realizada com utilização de boias estacionárias e embarcações tripuladas; estas demandam mão-de-obra especializada, contratação de pessoal, e ainda limitam a pesquisa, além dos altos custos operacionais.

Walk n’ Talk: É um projeto que integra turismo ao ensino de idiomas conectando brasileiros e estrangeiros interessados em aprender línguas e conhecer a cultura local. Une-se turismo, cultura e educação através de dois eixos:

Arq Bio LAB: Startup social de economia criativa, onde seus integrantes se capacitarão para desenvolver a economia local, idealizando e empreendendo negócios junto a comunidade. Negócios estes, que gerem renda e trabalho para os cidadãos, artistas e potenciais microempresários.

Kokua Digital: Kokua por definição significa “ajudar” em Havaiano, a palavra foi escolhida por ter tudo a ver com a proposta da Ilha, sendo um lugar muito propício ao surf, como o Havaí, por ser também uma ilha e por ter esse clima de sol, com altas ondas, gente bonita e agito. Como Kokua vem para ajudar os negócios locais a se levantarem e ao mesmo tempo está nesse clima de “Havaí Brasileiro”, a palavra caiu como uma luva, agregando todo o conceito e simpatia à marca.

ENERGIZE: A startup Energize quer fornecer energia limpa e renovável de forma simples e rentável para qualquer consumidor. Para isto, promove a reunião de pessoas físicas e jurídicas, através do conceito de crowdfunding¸ para implementar sistemas fotovoltaicos de geração compartilhada. Esta modalidade, prevista na resolução normativa específica, permite que grupos de consumidores possam usufruir dos benefícios ambientais e econômicos inerentes ao uso da energia solar de forma coletiva e criativa.

Dosemed Chart: Oferecer um tratamento rápido e de qualidade nem sempre é um trabalho simples para os radioncologistas e físicos médicos. O tratamento radioterápico de tumores envolve um complexo processo de conformação da radiação no tumor, além de uma equipe multidisciplinar altamente especializada e integrada. A DosemedChart otimizará o tempo de toda equipe possibilitando a realização de mais tratamentos em menos tempo

LTrace: A equipe dedicou-se na pesquisa e desenvolvimento de técnicas de Estatística, Inteligência Computacional e Machine Learning para solução de problemas em geofísica. A empresa irá oferecer produtos e serviços baseados nos métodos desenvolvidos durante os projetos com a Petrobras, que foram testados e validados por geofísicos de diferentes áreas da empresa, reconhecendo a sua eficiência computacional e eficácia.

+Saúde: A maior motivação para o +Saúde, que, também é a razão para ele existir, é de transformar uma parcela da realidade do segmento de saúde em Florianópolis. O segmento de consultas. O +Saúde é um market place constituído por dois principais stakeholders: profissionais da saúde e pacientes, intermediando as duas necessidades existentes no ecossistema de Florianópolis e, com isso, supri-las por meio de um market place onde unimos profissionais da saúde ao paciente.

AzoClima: Disseminar a informação meteorológica de forma contextualizada para determinados ramos de atividade utilizando como ferramenta modelos numéricos da atmosfera, dados ambientais medidos em superficie e dados de usuários. Dessa forma, o aplicativo fornecerá a cada cliente a informação especifica relacionando as variáveis meteorológicas com o respectivo setor de interesse (energético, desportos, vestuário, naval, turístico, construção civil, entre outros

Conexão Liberdade: Projeto que visa gerar renda para mulheres privadas de liberdade ou egressas do sistema prisional. Para isso, criaram o marketplace Conexão Liberdade, em que grupos produtivos formados por essas mulheres poderão vender seus produtos, gerando renda, autonomia, dignidade e empoderamento.

17jan2017-salomao03

Como a Economia Criativa está mudando o mundo

Na terça-feira passada (17/01), seguindo o cronograma de atividades propostas pelo Cocreation Lab, o Prof. Luiz Salomão Ribas Gomez (coordenador do Centro Sapiens) introduziu aos Cocreators presentes uma palestra com o tema “Economia Criativa: Como ela está mudando o mundo”.

Em decorrência das mudanças radicais que vem acontecendo no cenário atual, a alternativa ideal é acompanhar essa evolução de uma forma colaborativa e a economia criativa oferece propósitos para ajudar e a apoiar isso acontecer com víeis diferentes, sendo considerada uma “Economia sem chaminés”. Em outras palavras, o palestrante descreveu economia criativa como um termo criado para nomear modelos de negócio ou gestão que se originam em atividades, produtos ou serviços desenvolvidos a partir do conhecimento, criatividade ou capital intelectual de indivíduos com vistas à geração de trabalho e renda.

A Economia Criativa pode abranger diversas áreas como: Arquitetura, Artesanato, Artes Cênicas, Artes Visuais, Brinquedos, Cinema, Design, Entretenimento, Gastronomia, Moda, Música, Pesquisa e Desenvolvimento, Publicidade e Propaganda, Setor Editorial, Software, Televisão e Rádio, Turismo e Videogames.

Por fim, foi salientado 6 passos fundamentais para empreender no âmbito da economia criativa, os quais seriam:

  1. Tenha um propósito: entenda a necessidade das pessoas para oferecer um produto ou serviço que tenha relevância. Não pense primeiro no dinheiro, o lucro é consequência;
  2. Tire sua ideia do papel: boas ideias não viram negócios sozinhas. Planeje, pesquise e implemente. Pense num produto simples e viável, que possa ganhar escala;
  3. Crie um protótipo: com a internet é possível lançar um produto sem que ele esteja completamente finalizado, aperfeiçoa-lo e corrigindo de acordo com o retorno dos usuários. Assim, ele chega ao mercado já testado e as chances de dar errado são menores;
  4. Use métricas: mensure o impacto do que está criando. Trabalhe com pesquisas qualitativas e quantitativas, pois os investidores estão acostumados a número e resultados;
  5. Capacite-se em gestão: nem sempre um empreendedor criativo é um bom administrador. Estudo sobre gestão ou cerque-se de pessoas com conhecimentos complementares;
  6. Networking: Nunca trabalhe, estude ou se divirta sozinho. O processo de construção de um negócio na economia criativa passa inadvertidamente pela construção de parcerias. COCRIE!

17jan2017-salomao02

17jan2017-salomao01

11224554_885310848270910_7427689509248559494_o

Movimento Traços Urbanos e Centro Sapiens desenvolvem proposta de projeto urbanístico para o Centro Histórico Leste de Florianópolis

O Centro Sapiens é um projeto de desenvolvimento tecnológico territorial voltado à promoção da Economia Criativa – com foco em turismo, gastronomia, artes, design e tecnologia -, setor com grande potencialidade na cidade de Florianópolis. A Economia Criativa apresenta resultados positivos em todo Brasil. A aliança entre o setor criativo e inovação tem sido considerada peça-chave para o crescimento econômico. Segundo a ONU, ela atingiu no mundo US$ 624 bilhões em 2011.

Ao longo do trabalho destinado ao desenvolvimento da Economia Criativa e a revitalização do centro histórico leste de Florianópolis espera-se que o projeto do Centro Sapiens gere um ambiente de fortalecimento do setor na capital catarinense e sua região.

Ações de revitalização de espaços urbanos atrelados ao desenvolvimento da tecnologia, inovação e criatividade foram fundamentais e se enquadram como cases de sucesso em diversas cidades do mundo. Entre o exemplo mais memorável está a cidade de Barcelona. A capital catalã, nomeada como Capital Europeia da Inovação em 2014, conquistou este título por meio do emprego de uma política cultural de promoção ao diálogo e mais participação cidadã, além do redesenvolvimento de espaços industriais obsoletos, como o Poblenou, transformado no 22@, um distrito empresarial que funciona como laboratório urbano.

Mais próximo, na Colômbia, Medellín alcançou o título de Cidade do Ano em 2013 após um processo de revitalização e inclusão social que teve início há quase vinte anos. A cidade, que já foi considerada uma das mais violentas do mundo com altas taxas de criminalidade e intensa atividade de tráfico de drogas, apostou em políticas públicas com foco em programas de educação, empreendedorismo e inovação e na inserção da população nos processos culturais, econômicos e sociais. O resultado foi a revitalização de áreas excluídas com a apropriação de espaços públicos por meio de projetos de arquitetura e design, o que criou pontos de atração, e com a implementação de instituições que promovem o desenvolvimento de negócios inovadores de base tecnológica, como a Ruta N.

Em Florianópolis, já está em funcionamento no Centro Sapiens o Cocreation Lab, um espaço colaborativo que tem como foco principal o apoio para transformar ideias em negócios de economia criativa. Atualmente 10 ideias já estão trabalhando no espaço, que fica junto ao Museu da Escola Catarinense (MESC), e, ainda esse ano, será lançado um edital para o ingresso de mais 10 novas ideias no Cocreation Lab.

Com proposta voltada a revitalização do espaço, o movimento Traços Urbanos é um movimento gerado por um grupo inicialmente composto predominantemente por arquitetos, mas que ganhou um caráter transdisciplinar de profissionais preocupados com a cultura urbana da cidade. O grupo é aberto, formado por dezenas de pessoas de diferentes formações, e se estrutura através de tarefas, tendo como primeiras iniciativas ações voltadas para Florianópolis.

Através de eventos periódicos e abordagem de Design Thinking, a participação de diversos atores ocorre de forma horizontal, agilizando o encaminhamento de proposições mais convergentes.Esse movimento se sustenta no potencial de contribuição de pessoas de diferentes áreas que se unem pelo interesse comum de propor ações coletivas para melhorar os espaços públicos da cidade de Florianópolis.

O Centro Sapiens e o Movimento Traços Urbanos se uniram para desenvolver uma proposta urbanística e arquitetônica para melhoria e revitalização do Centro Histórico Leste da capital catarinense. Essa união gerou diversas novas ideias para o processo de desenvolvimento da região histórica de Florianópolis, que vão desde debates e uso cultural dos espaços da região, até a criação de um projeto urbanístico para criação de um Distrito Criativo na região como já existem em diversas cidades do mundo.

Reunidos desde o início de 2016 os grupos realizarão sua primeira atividade para a comunidade neste mês de novembro, quando uma oficina de Design Thinking para definir e conceituar projetos de Pocket Places (pequenos espaços públicos de convivência, como as pracinhas) serão apresentados à comunidade para aprovação e aos gestores públicos e empresas para obtenção de apoio, autorização e financiamento para sua execução. A oficina acontecerá no MESC e os resultados ficarão ali expostos para apreciação e debate com a sociedade.

OFICINA TRAÇOS URBANOS NO CENTRO SAPIENS

A oficina para criação dos Pocket Places acontecerá no dia 15 de novembro de 2016, das 9h às 19h, no Cocreation Lab, localizado no mezanino do Museu da Escola Catarinense (Rua Saldanha Marinho, 196, Centro). As inscrições para participar da oficina são gratuitas e limitadas e devem ser feitas abaixo ou diretamente na página no Eventick. Todos estão convidados a participar!

Na credenciamento da oficina apresente a confirmação de inscrição do Eventick, impressa ou digital. Caso você se inscreva e fique impossibilitado de ir, por favor, entre em contato pelo e-mail contato@centrosapiens.com.br.

PROGRAMAÇÃO

09:00 – Apresentação do Evento e Cronograma do dia
09:30 – Problematização / Apresentação dos temas e áreas de intervenção
10:00 – Saída de campo nos locais de intervenção
10:30 – Apresentação de ideias inicias / Debate inicial / Escolha de tema a ser seguido / Divisão de grupos
11:30 – Pausa para almoço / Processamento e degustação de ideias
13:00 – Palestra e Apresentação da Metodologia
13:30 – Desenvolvimento dos Projetos
18:00 – Finalização dos trabalhos
18:30 – Apresentação dos projetos de cada grupo (5 minutos/grupo)
19:00 – Happy Hour / Discussão, interação e troca de experiências

Participe e ajude construir um centro histórico mais vivo!

 



Alternativamente, você pode adquirir seu ticket diretamente na página do Eventick

Portfolio Items