Como a Economia Criativa está mudando o mundo

Na terça-feira passada (17/01), seguindo o cronograma de atividades propostas pelo Cocreation Lab, o Prof. Luiz Salomão Ribas Gomez (coordenador do Centro Sapiens) introduziu aos Cocreators presentes uma palestra com o tema “Economia Criativa: Como ela está mudando o mundo”.

Em decorrência das mudanças radicais que vem acontecendo no cenário atual, a alternativa ideal é acompanhar essa evolução de uma forma colaborativa e a economia criativa oferece propósitos para ajudar e a apoiar isso acontecer com víeis diferentes, sendo considerada uma “Economia sem chaminés”. Em outras palavras, o palestrante descreveu economia criativa como um termo criado para nomear modelos de negócio ou gestão que se originam em atividades, produtos ou serviços desenvolvidos a partir do conhecimento, criatividade ou capital intelectual de indivíduos com vistas à geração de trabalho e renda.

A Economia Criativa pode abranger diversas áreas como: Arquitetura, Artesanato, Artes Cênicas, Artes Visuais, Brinquedos, Cinema, Design, Entretenimento, Gastronomia, Moda, Música, Pesquisa e Desenvolvimento, Publicidade e Propaganda, Setor Editorial, Software, Televisão e Rádio, Turismo e Videogames.

Por fim, foi salientado 6 passos fundamentais para empreender no âmbito da economia criativa, os quais seriam:

  1. Tenha um propósito: entenda a necessidade das pessoas para oferecer um produto ou serviço que tenha relevância. Não pense primeiro no dinheiro, o lucro é consequência;
  2. Tire sua ideia do papel: boas ideias não viram negócios sozinhas. Planeje, pesquise e implemente. Pense num produto simples e viável, que possa ganhar escala;
  3. Crie um protótipo: com a internet é possível lançar um produto sem que ele esteja completamente finalizado, aperfeiçoa-lo e corrigindo de acordo com o retorno dos usuários. Assim, ele chega ao mercado já testado e as chances de dar errado são menores;
  4. Use métricas: mensure o impacto do que está criando. Trabalhe com pesquisas qualitativas e quantitativas, pois os investidores estão acostumados a número e resultados;
  5. Capacite-se em gestão: nem sempre um empreendedor criativo é um bom administrador. Estudo sobre gestão ou cerque-se de pessoas com conhecimentos complementares;
  6. Networking: Nunca trabalhe, estude ou se divirta sozinho. O processo de construção de um negócio na economia criativa passa inadvertidamente pela construção de parcerias. COCRIE!

17jan2017-salomao02

17jan2017-salomao01